Volume 02 / n. 03 ago.-dez. 2010: Artigos

Curso de pedagogia: Formação do professor da educação infantil e dos anos iniciais do ensino fundamental

Geslani Cristina Grzyb Pinheiro

Pedagoga, mestre em Educação pela PUCPR, professora do Grupo Educacional Uninter.

foto de Joana Paulin Romanowski

Joana Paulin Romanowski

Pedagoga, doutora em Educação pela USP, professora do Programa de Mestrado em Educação da PUCPR e da FACINTER.

Resumo

A formação do professor para atuar na educação infantil e anos iniciais do ensino fundamental é preocupação constante nas discussões acadêmicas. Atualmente, os cursos de licenciatura preparam o professor para a educação básica, porém, é o curso de Pedagogia que assume a responsabilidade em formar esse profissional para a docência na educação infantil e nos primeiros anos do ensino fundamental, conforme instituído na LDBEN/96 e nas Diretrizes Curriculares para o curso de Pedagogia (DCNs). Partindo desse pressuposto, o presente texto expressa resultado de investigação realizada com o objetivo de compreender como se institui a formação do professor para educação infantil e anos iniciais do ensino fundamental no curso de Pedagogia. A metodologia da pesquisa caracteriza-se como um estudo de caso, de abordagem qualitativa de um curso de Pedagogia de uma instituição de ensino superior privada de Curitiba-PR. A proposta deste curso prioriza a formação docente no curso. Foram realizadas entrevistas com professores e coordenadora, questionários com alunos e análise dos TCCs e da proposta do curso. Os referenciais teórico metodológicos que embasam o estudo consideram Gatti (2009), Brzezinski (1996), Martins (1998), Waschowicz (2009), Scheibe e Aguiar (1999), Gauthier (1998), Veiga (2009), Garcia (1999), Romanowski (2007), Libâneo e Pimenta (2006), Pimenta (2004). Os resultados apontam que a docência é a base da formação do pedagogo no curso investigado, nos conteúdos de todas as disciplinas, fundamentos teóricos e conhecimentos específicos da prática de ensino, a ênfase é o método.Destarte, a formação para a docência na educação infantil indica aponta lacunas, o enfoque da docência são os anos iniciais do ensino fundamental.


Palavras-chave

Conteúdos da Docência // Curso de Pedagogia // Formação de Professores

Introdução

Diante dos atuais desafios da educação básica, a formação do professor para atuar na educação infantil e nos anos iniciais do ensino fundamental é alvo de políticas públicas, de inúmeros estudos, pesquisas e debates, considerando o atual contexto de intensificação dos trabalhadores da educação como comprometidos com a resolução dos problemas do ensino e responsáveis pelo desenvolvimento da escola (KUENZER, 1998).

Assim, a formação do professor requer que se observe e se dê atenção aos cursos responsáveis por essa tarefa. Atualmente, a responsabilidade pela formação desses profissionais em nível superior é dos cursos de licenciatura. Conforme art. 62º da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional- LDBEN, Lei nº 9.394/96,

(…) a formação de docentes para atuar na educação básica far-se-á em nível superior, em curso de licenciatura, de graduação plena, em universidades e institutos superiores de educação, admitida, como formação mínima para o exercício do magistério na educação infantil e nas quatro primeiras séries do ensino fundamental, a oferecida em nível médio, na modalidade Normal.

O teor do caput do artigo pressupõe que o conjunto dos cursos de licenciatura forma professores para as modalidades da educação básica. Porém, historicamente, as licenciaturas de conhecimentos específicos preparam o professor para os anos finais do ensino fundamental e ensino médio, anteriormente 5ª a 8ª série do primeiro grau, segundo grau, ginásio e científico. Cabia ao magistério de segundo grau a formação do professor para 1ª a 4 ª série do primeiro grau, e no contexto das Leis 5.992/71 e 4.024/61, o Curso Normal de nível médio era incumbido do professor primário., no contexto das Leis 5.992/71 e 4.024/61, respectivamente.

Destarte, a reformulação do Curso de Pedagogia gestada durante a década de 1980, e regulamentada a partir de 1996, elevou o nível de ensino médio para superior da formação do professor da educação infantil e do ensino fundamental, anos iniciais. Cabe destacar que a Lei nº 9.394/96 definiu este nível e responsabilidade para o Curso Normal Superior, no entanto, o movimento de profissionais da educação, ANFOPE, ANPAE, FORUNDIR, ANPEd, e de estudantes dos Centros Acadêmicos do curso de Pedagogia, interpelou aos órgãos reguladores para que a formação do professor ocorra no curso de Pedagogia. O pressuposto é de que a formação do professor prescinde de uma formação teórica prática em docência articulada aos fundamentos pedagógicos e sociopolíticos no contexto da organização do trabalho da escola, e não é restrita à formação técnica, centrada no domínio dos conteúdos escolares e suas metodologias (SCHEIBE, AGUIAR, 1999; SCHEIBE, 2007, 2010; GATTI, 2009).

Reafirmam os estudos de Gatti (2009), publicados pela UNESCO, que o foco das demais licenciaturas é voltado para a atuação do professor nos anos finais do ensino fundamental (6º ao 9º ano) e ensino médio, porém, esses estudos indicam uma lacuna quanto à formação de professores para a educação infantil nos cursos de licenciatura, inclusive na Pedagogia. A Resolução nº 01 CNE/CP, de maio de 2006, que define as Diretrizes Curriculares para o curso de Pedagogia, atribui como base da formação do pedagogo a docência, corroborando as indicações do movimento de professores.

A pesquisa, focalizada neste artigo, foi realizada com o objetivo de compreender a formação do professor efetivada no curso de licenciatura em Pedagogia, uma vez que este curso está incumbido de formar para a docência, constituído como um dos eixos dos princípios básicos da formação inicial do professor. Este princípio é reafirmado em documentos dos encontros nacionais da ANFOPE, desde 1983.

Constituem os elementos examinados na investigação a organização do curso de Pedagogia, a composição dos conhecimentos priorizados nas disciplinas, a prática dos formadores nas aulas, a percepção dos alunos quanto ao seu processo de formação, as escolhas dos temas no trabalho de conclusão do curso.

A metodologia fundamenta-se nos aportes teóricos de Santos (2005), que estabelece, em termos didáticos, diferentes níveis de conhecimento, quais sejam, o nível descritivo, o explicativo e o compreensivo. Assim, a empiria tomou como referente um estudo de caso, a partir de abordagem qualitativa, de um curso de Pedagogia da cidade de Curitiba (Paraná), considerando o exame da proposta de curso, as respostas coletadas por meio de entrevista semiestruturada com o coordenador de curso e com os professores, questionários respondidos pelos alunos e levantamento dos temas e focos do trabalho de conclusão de curso.

Os aportes teórico metodológicos que embasam o estudo quanto à docência apóiam-se em Martins (1998), Wachowicz (2009), Gauthier (1998), Veiga (2009), Pimenta e Lima(2004); sobre formação de professores, em Marcelo (1999), Romanowski (2007), Gatti (2009); e quanto ao curso de Pedagogia, nos estudos de Brzezinski (1996), Scheibe e Aguiar (1999), Scheibe (2007, 2010).

  • Correspondência

    Geslani Cristina Grzyb Pinheiro


    Joana Paulin Romanowski


  • Download do artigo

    Curso de pedagogia: Formação do professor da educação infantil e dos anos iniciais do ensino fundamental Download

  • Cadastre-se

    Caso queira obter informações sobre a Revista “Formação Docente”, cadatre-se e receba atualizações periódicas sobre a produção acadêmica na área da formação de professores. Cadastre-se