Volume 09 / n. 15 ago. - dez. 2016: Artigos

Razões e expectativas da escolha profissional docente: o curso de Pedagogia em Foco

foto de Mônica Patrícia da Silva Sales

Mônica Patrícia da Silva Sales

Doutoranda em Educação pela Universidade Federal do Pernambuco (UFPE), mestre em Educação também pela UFPE, possui graduação em Pedagogia pela Faculdade de Filosofia Ciências e Letras de Caruaru (FAFICA) e especialização em Gestão da Escola e Coordenação Pedagógica pela mesma universidade. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Coordenação do Trabalho Pedagógico, atuando principalmente nos seguintes temas: saberes docentes, prática pedagógica, formação de professores e coordenação do trabalho pedagógico. Atualmente é professora da FAFICA. Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Caruaru

Wilson Rufino da Silva

Possui graduação em Ciências Sociais pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Caruaru (FAFICA), especialização em Gestão Escolar e mestrado em Educação pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) com dissertação sobre a Prática de Ensino na formação docente. Desde 2000 é professor de licenciaturas na graduação e na pós-graduação na FAFICA. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em formação docente e gestão escolar, atuando principalmente nos seguintes temas: gestão democrática, mecanismos democratizadores da escola, formação de professores/as e estágio supervisionado. Atuou como coordenador do curso de Pedagogia em 2007, e de 2010 a 2012 coordenou o curso de Teologia na instituição em que trabalha, sendo atualmente coordenador da Comissão Própria de Avaliação (CPA). Foi presidente do Conselho Municipal de Educação da cidade de Caruaru no período de 2010 a 2014. É avaliador/técnico do e-MEC (sistema eletrônico de acompanhamento dos processos que regulam a educação superior no Brasil, ligado ao Ministério da Educação). Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Caruaru

Resumo

Este artigo tem por objetivo analisar as razões e as expectativas dos estudantes de Pedagogia em relação à escolha pela profissão docente. Trata-se de um estudo de natureza qualitativa, no qual buscamos fazer uma análise da realidade contextual a partir de uma aproximação com o fenômeno investigado e com o universo conceitual dos sujeitos. Elegemos como campo empírico de pesquisa uma instituição privada. Participaram deste estudo 153 estudantes do curso de Pedagogia situados em diferentes estágios da formação, que responderam a um questionário com base em questões abertas e fechadas. Para análise dos dados, buscamos respaldo na técnica de análise de conteúdo de Bardin (2010). Os dados revelaram que a escolha do curso se deu em função da identificação com crianças e com a função social da profissão, da busca por aperfeiçoamento profissional, do amplo horizonte do mercado de trabalho e da possibilidade de empregabilidade. A maioria dos/as estudantes pretende atuar ou continuar atuando na docência e possui expectativas muito positivas em relação ao seu exercício profissional.


Palavras-chave

Pedagogia // Profissão Docente

INTRODUÇÃO

Neste estudo buscamos discutir a formação de professores a partir da reflexão sobre a profissão, entendendo ser esse um campo de tensão e conflitos que se inscrevem nas subjetividades dos sujeitos e em contextos sociais mais amplos. Para tanto, procuramos analisar as razões e as expectativas da escolha profissional docente de estudantes do curso de Pedagogia de uma instituição privada localizada no agreste de Pernambuco.

Este artigo é fruto das discussões travadas na disciplina Estudos Avançados em Formação de Professores e Prática Pedagógica do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de Pernambuco, ministrada pela professora doutora Maria Eliete Santiago. As políticas e as práticas curriculares na formação de professores e a atratividade da profissão foram os eixos que nortearam as discussões ao longo do curso. Todavia, para a produção deste artigo a questão da atratividade da profissão docente nos inquietou e nos mobilizou a pesquisar, uma vez que, como mostrou Gatti (2009), a profissão docente vem deixando de ser uma opção profissional procurada pelos(as) jovens.

Sabemos que, no processo de escolha profissional, muitos são os fatores a considerar, como a realização pessoal, a identificação pessoal e profissional, a remuneração, a carreira, o prestígio e o reconhecimento social, entre outros. Esses fatores são determinantes e determinados pelas experiências individuais de cada um/a, e fazem parte de uma construção socio-histórica, cultural e política da sociedade na qual se está inserido. Desse modo, pressupomos que a maneira como as profissões são representadas no imaginário social das pessoas e disseminadas nos meios de comunicação influenciam as escolhas profissionais dos jovens.

Conforme Dubar (2006), a noção de trabalho analisada no atual contexto está em plena transformação. O trabalho, não importa qual, tornou-se um desafio para o reconhecimento de si, um tempo de incerteza e grande implicação social, que tem exigido um investimento pessoal cada vez maior.

Nesse contexto, a escolha pela profissão se situa como um momento de tensões, pois o que se coloca em jogo é um projeto de futuro. E, nesse caso, não é fácil realizar tal escolha. Junta-se a isso o fato de, na maioria das vezes, serem jovens adolescentes cheios de dúvidas e conflitos, o que agrava ainda mais o quadro situacional. Muitos jovens vão em busca da profissão que lhes proporcionem maior rentabilidade e uma situação mais estável. Além disso, eles procuram por profissões que estão em ascensão ou que possuem uma tradição de prestigio e valorização social. As mudanças constantes na sociedade fazem com que muitas profissões surjam e outras desapareçam.

Nesse sentido, discutir atividade docente na contemporaneidade requer que consideremos os desafios que se colocam para essa profissão, como a questão da atratividade, da carreira, da permanência de bons/boas professores/as na sala de aula e da qualidade social do trabalho desenvolvido pelos/as docentes. Especial atenção deve ser dada à atratividade da profissão, tendo em vista o que apontam as pesquisas recentes na área, como a realizada em 2009 pela Fundação Victor Civita (FVC) em parceria com a Fundação Carlos Chagas (FCC). Essa pesquisa revelou que apenas 2% dos jovens que frequentam o 3º ano do ensino médio pretendem cursar Pedagogia ou alguma licenciatura. No estudo foram ouvidos 1.501 alunos em 18 escolas públicas e particulares de 8cidades (GATTI, 2009). Tais dados são reveladores da falta de prestígio social e de valorização da profissão docente na sociedade.

Conforme apontam Tardif e Lessard (2009), a docência é uma das mais antigas ocupações modernas, tão antiga quanto a medicina e o direito, porém, quando situada dentro da organização socioeconômica do trabalho, ela representa atualmente um setor nevrálgico, pois não tem se constituído como uma profissão atrativa e valorizada.

Diante das questões aqui discutidas, inquieta-nos compreender: quais razões levaram os/as estudantes a escolher o curso de Pedagogia? Quais suas expectativas em relação à profissão docente? Qual o perfil desses estudantes?

Este trabalho se inscreve em uma abordagem de natureza qualitativa através da qual buscamos fazer uma análise da realidade contextual a partir de uma aproximação com o fenômeno investigado e com o universo conceitual dos sujeitos (MINAYO, 2007). Elegemos como campo empírico de pesquisa uma instituição privada, a Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Caruaru, considerando a sua trajetória histórica de mais de 50 anos formando professores e o seu pioneirismo na região agreste de Pernambuco, assim como sua atuação no ensino, na pesquisa e na extensão, algo não comum em instituições privadas. É importante pontuar que as instituições privadas são as que mais formam professores/as (SILVA, 2007), portanto, trata-se de um campo que merece ser pesquisado. Participaram deste estudo 153 estudantes do curso de Pedagogia, situados em diferentes estágios formativos, que aderiram voluntariamente à pesquisa.
Utilizamos como instrumento de coleta de dados o questionário, entendido como interlocução planejada (CHIZZOTTI, 1991), com base em questões objetivas e subjetivas com a finalidade de traçar o perfil dos/as estudantes e compreender suas razões e expectativas em relação à profissão e ao exercício profissional. Para a análise dos dados, buscamos respaldo na técnica de análise de conteúdo temática de Bardin (2010), que procura identificar o conteúdo manifesto e latente na produção dos sujeitos, permitindo organizar categorias ou subcategorias que nos ajudam a realizar inferências e não somente constatações, contemplando as condições contextuais de sua produção.

A análise dos dados segundo os critérios estabelecidos por Bardin (2010) consiste em pré-análise, exploração do material e tratamento dos dados. Seguindo esses passos, procuramos organizar um plano de análise, definindo o tempo e o cronograma da pesquisa, e procedemos com a revisão teórica de estudos e pesquisas que discutiam a temática em questão. Selecionado os referenciais teóricos e as pesquisas, realizamos a leitura do material e formulamos os pressupostos e os objetivos. Na medida em que lemos, analiticamente, as fontes escolhidas, questionamos e revisamos os pontos de partida tomados na pesquisa. A exploração do conteúdo dos questionários nos permitiu tratar e interpretar os dados tornando-os significativos e válidos através da organização, codificação e categorização das unidades em torno de temas e características que emergiram do conteúdo. Esse tratamento dos dados nos possibilitou identificar os elementos que expressavam as razões e as expectativas de estudantes de Pedagogia em relação ao curso e à profissão.

Na organização das variáveis, lançamos mão do software SPSS, sigla representativa do Statistical Package for the Social Sciences, um pacote estatístico para as ciências sociais utilizado mediante um software aplicativo que permite a tabulação de dados em grande quantidade e diversificação. As planilhas do SPSS foram alimentadas com os dados colhidos pelos questionários distribuídos entre os/as discentes de Pedagogia.

Organizamos, então, o texto em três partes. Num primeiro momento situamos a profissão docente em seus dilemas contemporâneos. Em seguida, trouxemos elementos dos debates e embates que envolvem o curso de Pedagogia, situando também a formação do/a pedagogo/a na FAFICA, campo de investigação desta pesquisa. Na terceira parte, consideramos e analisamos as razões e as expectativas pela escolha da profissão docente e pelo curso de Pedagogia, caracterizando, inicialmente, o perfil dos/as licenciandos/as de Pedagogia da instituição pesquisada.

  • Correspondência

    Mônica Patrícia da Silva Sales


    Wilson Rufino da Silva


  • Download do artigo

    Razões e expectativas da escolha profissional docente: o curso de Pedagogia em Foco Download

  • Cadastre-se

    Caso queira obter informações sobre a Revista “Formação Docente”, cadatre-se e receba atualizações periódicas sobre a produção acadêmica na área da formação de professores. Cadastre-se

  • Latindex
  • sumarios.org
  • BBE
  • CAPES

    Portal de Periódicos/Qualis

  • Diadorim

    Deadorim