Volume 09 / n. 15 ago. - dez. 2016: Artigos

Saberes da ação pedagógica de Professores de Educação Física

foto de José Ângelo Gariglio

José Ângelo Gariglio

Formado em Educação Física (bacharelado e licenciatura) pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) (1989), especialista em Educação Física Escolar pela Pontifícia Universidade Católica (PUC) de Minas Gerais (1994), mestre em Educação pela UFMG (1997) e doutor em Educação pela PUC do Rio de Janeiro (2004). Atualmente é professor da Escola de Educação Física, Fisioterapia e Terapia Ocupacional da UFMG e do Programa de Pós-Graduação em Educação da Faculdade de Educação da mesma universidade. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Teorias da Instrução, atuando nos temas formação de professores, formação de professores de Educação Física, formação de professores da Educação Profissional e Tecnológica, ensino da Educação Física, saberes docentes e currículo. É líder do Grupo de Pesquisa em Educação Física Escolar (ProEFE) e membro do GT08 – Formação de Professores da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação (Anped). Universidade Federal de Minas Gerais

Resumo

O presente artigo trata dos resultados de uma pesquisa que teve como objeto de investigação a análise dos saberes da ação pedagógica de professores de Educação Física (EF). A pesquisa foi realizada com três professores/as (dois homens e uma mulher) e contou com vários instrumentos de coleta de dados, como entrevistas, observação do trabalho cotidiano dos professores e análise documental. A investigação teve como referencial teórico-metodológico central os conceitos advindos dos estudos que tratam da epistemologia da prática profissional. Os resultados do estudo apontam que esses professores edificam saberes profissionais de tipo singular aos conhecimentos acadêmicos. O estudo mostra, ainda, que o processo de construção dos saberes da ação pedagógica revelou-se fortemente articulado à especificidade pedagógica da disciplina a qual os professores pertencem.


Palavras-chave

Educação Física // Formação de Professores // Saberes e ação pedagógica

Introdução

O tema referente aos processos de constituição dos saberes da base profissional dos professores é alvo crescente de estudos no âmbito das ciências da educação. Esses estudos têm como uma de suas preocupações investigar as práticas de ensino dos docentes em seus diferentes e singulares locais de trabalho, identificando nelas a singularidade do conhecimento e da habilidade profissional que demarcariam a especificidade do ofício docente.

Essas pesquisas, em linhas gerais, nutrem-se de questões como: o que sabem os professores? Quais os saberes que estão na base da profissão docente? Quais os saberes necessários para ensinar? O que esses saberes têm de original? Há diferença entre eles e os conhecimentos provenientes da formação inicial, das ciências da educação, dos conhecimentos curriculares? Caso haja, em que ponto eles são diferentes? Como esses saberes são construídos? Qual a relação entre a edificação desses saberes e a experiência profissional? Trata-se de habitus, rotinas, posturas, intuição, dom, bom senso e/ou de conhecimentos de tipo sui generis e competências? Qual a relação entre os saberes profissionais e os saberes acadêmicos e disciplinares? (BORGES, 2002).

Essas são questões que orientaram a nossa investigação e constituem o pano de fundo no qual tem origem o nosso objeto de estudo. Ele se situa, portanto, no universo das pesquisas contemporâneas sobre o ensino, mais particularmente dos estudos que se interessam pelos saberes, pela formação e pelo trabalho docente.

Tendo como referência o foco investigativo desses estudos, a pesquisa por nós realizada buscou investigar os processos de construção dos saberes da base profissional de professores de Educação Física (EF) mediante as ações pedagógicas laboradas por esses docentes em meio a práticas de ensino demarcadas pelo trabalho com um componente disciplinar específico: a Educação Física. Interessou-nos investigar em que medida a prática de ensino desse e nesse campo disciplinar tem relação com o processo de edificação dos saberes pedagógicos dos professores de EF.

Mesmo compartilhando da ideia de que os saberes profissionais desses professores não estão resumidos ao domínio dos conteúdos de ensino – ou seja, que a esses professores não basta dominar nem conhecer profundamente os saberes de referência de sua disciplina curricular para dar conta das múltiplas e contraditórias contingências do ambiente de ensino na escola, e que os conhecimentos disciplinares, proposicionais, constituem falsa representação dos saberes docentes e a respeito de sua prática, porque não dão conta dos sincretismos que envolvem a forma como conhecem, pensam e agem os professores em situações de ensino. Entendemos que seria significativo investigar de que forma os professores de EF desenvolvem sua cultura docente ante os processos de socialização profissional demarcados pelo ensino desse componente disciplinar.

Assim, duas questões se apresentaram como fundamentais na organização da nossa reflexão: a primeira é que cada disciplina escolar ostenta o seu princípio de inteligibilidade, seu paradigma, sua matriz disciplinar que organiza a totalidade dos conteúdos num conjunto coerente. O paradigma disciplinar é fundamental porque determina as tarefas que serão desenvolvidas com os alunos, os conhecimentos declarativos a ensinar e os conhecimentos procedimentais correspondentes (DEVALY, 1995; SHULMAN, 1986).

A segunda é que as disciplinas escolares são entidades culturais dotadas de características sui generis, que, longe de ser mero reflexo de disciplinas científicas e acadêmicas, se constituem de campos de ação fortemente marcados pelas contingências de tempo e espaço escolar, pelas cláusulas explícitas dos contratos pedagógicos e didáticos, pelas estratégias de ensino voltadas aos alunos, pelas exigências dos colegas, pelas necessidades imediatas da vida institucional e pelos sistemas de avaliação e seleção. Nesse sentido, uma disciplina escolar apresenta-se como um conjunto de saberes, de competências, de posturas físicas e/ou intelectuais, de atitudes, de valores, de códigos e de práticas que trazem as marcas da forma escolar (PERRENOUD, 2001; CHERVEL, 1990).

Nessa direção, pareceu-nos significativo produzir uma investigação que se debruçasse mais detidamente sobre as complexas relações entre a especificidade da matriz disciplinar da EF e o processo de edificação dos saberes da base profissional de professores de EF. Enfim, nosso objeto de estudo visou a compreender os modelos ou tipos de ação desenvolvidos pelos professores de EF em virtude de uma inserção profissional na escola, que, a priori, nos parecia detentora de um conjunto de particularidades. Estamos entendendo aqui como modelos de ação as representações elaboradas e veiculadas pelos professores de EF a respeito da natureza de sua prática, representações essas que servem para defini-la, estruturá-la e orientá-la em situações de ação (TARDIF; LESSARD; LAHAYE, 1991).

O ofício docente: um ofício de saberes?

Os estudos sobre o saber docente ganham força no início dos anos 1980 e certo prestígio na década de 1990, principalmente nos Estados Unidos. Essa produção teórica cresce em importância, entre outros motivos, pela constatação da dificuldade da escola em lidar com as novas exigências socioculturais advindas da concorrência internacional, consequência da globalização dos mercados e da crise do papel social da escola, bem como da dificuldade dos sistemas nacionais de ensino em lidar com uma escola de massa.

A crise da escola é atribuída, entre outras causas, à fragilidade da profissão docente, especialmente à pouca importância dada à formação dos professores e à dificuldade destes em lidar com as novas e complexas exigências sociais, pedagógicas e culturais. Assim, o que se apresenta como um remédio para os males evidenciados pelos fatores precedentes é o discurso que defende a necessidade de profissionalizar o magistério (TARDIF, LESSARD; LAHAYE, 1991; GAUTHIER et al., 1998).

As pesquisas sobre os saberes docentes surgem como que ligadas à questão da profissionalização do ensino e aos esforços feitos pelos pesquisadores em definir a natureza dos conhecimentos profissionais que servem de base para o magistério. Essa base de conhecimentos para o ensino é definida por Shulman (1986) como a agregação codificada ou codificável de conhecimentos, habilidades, compreensão e tecnologia, de ética e disposição e de responsabilidade coletiva – assim como um meio para representá-la e comunicá-la.

Cabe ressaltar que as pesquisas sobre o saber docente foram (e ainda são) influenciadas pela produção teórica sobre o profissional reflexivo desenvolvida por Schön (2000). Com os conceitos desenvolvidos por ele sobre o conhecimento na ação, deu-se grande impulso nos estudos sobre os processos de pensamento adotados pelos profissionais do ensino. Esses conceitos operaram uma crítica profunda à racionalidade técnica, que tende a reduzir a leitura dos fatos a modelos teóricos desvinculados da realidade concreta. O professor, ao ser reconhecido como um profissional reflexivo, ou seja, produtor de estratégias inteligentes que orientam o seu fazer pedagógico, reconhece, em contrapartida, que o ato pedagógico encerra múltiplas dimensões, sendo, portanto, quase impossível medi-las, prevê-las e controlá-las totalmente segundo métodos científicos. Também, no contexto profissional, ao lidar com as dimensões afetivas, relacionais, organizacionais, existenciais e sociais, de forma concomitante ou isoladamente, o professor vê-se obrigado a desenvolver mais do que uma racionalidade científica, ou seja, uma racionalidade prática. Por sua vez, o ato pedagógico, ao ser reconhecido na sua complexidade, incerteza, instabilidade, contextualidade e singularidade, exige do professor práticas reflexivas que buscam responder às múltiplas necessidades das situações de ensino.

  • Correspondência

    José Ângelo Gariglio


  • Download do artigo

    Saberes da ação pedagógica de Professores de Educação Física Download

  • Cadastre-se

    Caso queira obter informações sobre a Revista “Formação Docente”, cadatre-se e receba atualizações periódicas sobre a produção acadêmica na área da formação de professores. Cadastre-se

  • Latindex
  • sumarios.org
  • BBE
  • CAPES

    Portal de Periódicos/Qualis

  • Diadorim

    Deadorim