Volume 08 / n. 14 jan. - jun. 2016: Artigos

A escola de tempo integral e a formação de seus professores no plano nacional de educação/2014-2024: Reflexões, contradições e possibilidades

referências

ANFOPE. Documentos Finais dos V, VI, VII, VIII, IX, X e XI Encontros Nacionais da Associação Nacional pela Formação dos Profissionais da Educação. Brasília, de 1990 a 2002.

ARCO-VERDE. Tempo escolar e organização do trabalho pedagógico. Em Aberto, Brasília, v. 25, n. 88, p. 83-97, jul./dez. 2012.

ARROYO, Miguel Gonzales. O direito ao tempo de escola. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, n. 65 p. 3-10, mai. 1988.

BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional n. 9.394 de 20 de dezembro de 1996.

CAVALIERE, Ana Maria Vilella; COELHO, Lígia Martha Coimbra da Costa (Orgs.). Educação brasileira em tempo integral. Petrópolis, RJ: Vozes, 2002.

CODO, Wanderley. Educação. Carinho e Trabalho. 4 ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2006.

COELHO, Lígia Martha Coimbra da Costa (Org.). Educação integral em tempo integral. Petrópolis, RJ: DP et Alii, 2009.

DUARTE, Newton. Educação escolar, teoria do cotidiano e a escola de Vigotski. 4 ed. Campinas, SP: Autores Associados, 2007.

FERRETTI, Celso João; VIANNA, Cláudia Pereira; SOUZA, Denise Trento de. Escola pública em tempo integral: o Profic na Rede Estadual. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, n. 76, p. 5-17, fev. 1991.

FRIGOTTO, Gaudêncio; CIAVATTA, Maria (Orgs.). A experiência do trabalho e a Educação Básica. 3. ed. Rio de Janeiro: Lamparina, 2010.

GRAMSCI. Concepção dialética da História. 10. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1995.

LIMONTA, Sandra Valéria; SILVA, Kátia Augusta Curado Pinheiro Cordeiro da. Formação de professores, trabalho docente e qualidade do ensino. In: LIBÂNEO, José Carlos; SUANNO, Marilza Vanessa Rosa; LIMONTA, Sandra Valéria. Qualidade da escola pública: políticas educacionais, didática e formação de professores. Goiânia: CEPED: América, 2013. (p. 173-188).

OLIVEIRA, Dalila Andrade. A reestruturação do trabalho docente: precarização e flexibilização. Educação & Sociedade, Campinas, vol. 25, n. 89, p. 1127-1144, Set./Dez. 2004.

MARX, Karl e ENGELS, Friedrich. A ideologia alemã. São Paulo: Boitempo, 2007.

NOGUEIRA, Ana Lúcia Horta. Concepções de “trabalho docente”: as condições concretas e os discursos das prescrições oficiais. _Educação & Sociedade_. 2012, vol.33, n.121, pp. 1237-1254.

OLIVEIRA, Maria Auxiliadora M. e FIDALGO, Nara Luciene Rocha (Orgs.). A intensificação do trabalho docente: tecnologias e produtividade. Campinas, SP: Papirus, 2009. (p. 19-48).

PARO, Vitor Henrique. Escola de tempo integral: desafio para ensino público. São Paulo: Cortez, 1988.
 
RODRÍGUEZ, Margarita Victoria. Reformas educacionais e proletarização do trabalho docente. Acta Scientiarum. Maringá-PR, v. 30, n. 1, p. 45-56, 2008.

ROLDÃO, Maria do Céu. Profissionalidade docente em análise: especificidades dos ensinos superior e não superior. Nuances, ano XI, v. 12, n. 13, p.105-126, jan./dez. 2005.

ROSA Sandra Valéria Limonta. Escola de tempo integral: Desafios políticos, curriculares e pedagógicos. Educação: Teoria e Prática, Rio Claro, v. 24, n.46, p. 120-136, mai./ago. 2014.

ROSA, Sandra Valéria Limonta; BRANDAO, André Alcântara; FREITAS, Vilmar Luiz SANTOS, Luciene Martins dos (Orgs.). Educação integral e escola pública de tempo integral. Goiânia: PUC Goiás, 2013.

__________. Educação integral e escola pública de tempo integral: formação de professores, currículo e trabalho pedagógico. Goiânia: América, 2014.

ROSA, Sandra Valéria Limonta; SANTOS, Lívia de Souza Lima. Escola de tempo integral: mais tempo para a aprendizagem e o desenvolvimento. In: BARRA, Valdeniza Maria Lopes da (Org.). Educação: ensino, espaço e tempo na escola de tempo integral. Goiânia: UFG, 2014.

SAVIANI, Dermeval. _Pedagogia histórico-crítica_: primeiras aproximações. 5 ed. São Paulo, Autores Associados, 1995.

__________. Educação: do senso comum à consciência filosófica. 17 ed. Campinas, SP: Autores Associados, 2007.

SILVA, Kátia Augusta Curado Pinheiro Cordeiro da. A formação de professores na perspectiva crítico-emancipadora. Linhas Críticas, Brasília, v.17, n. 32, p.13-31, jan./abr. 2010.

__________. Professores com formação stricto sensu e o desenvolvimento da pesquisa na educação básica da rede pública de Goiânia: realidades, entraves e possibilidades. Tese de doutorado (Programa de Pós-Graduação em Educação da Faculdade de Educação). Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2008.

VASCONCELOS, Rosylane Doris de. As políticas públicas de educação integral, a escola unitária e a formação onilateral. Tese de doutorado. Programa de Pós-Graduação em Educação da Faculdade de Educação da Universidade de Brasília, 2012. (281 págs.).

  • Correspondência

    Kátia Augusta Curado Pinheiro Cordeiro da Silva

    Universidade de Brasília
    Faculdade de Educação da UnB, Campus Universitário Darcy Ribeiro, Brasília-DF.
    CEP 70090-970


    Sandra Rosa


  • Download do artigo

    A escola de tempo integral e a formação de seus professores no plano nacional de educação/2014-2024: Reflexões, contradições e possibilidades Download

  • Cadastre-se

    Caso queira obter informações sobre a Revista “Formação Docente”, cadatre-se e receba atualizações periódicas sobre a produção acadêmica na área da formação de professores. Cadastre-se

  • Latindex
  • sumarios.org
  • BBE
  • CAPES

    Portal de Periódicos/Qualis

  • Diadorim

    Deadorim

  • Edubase

    Edubase