Volume 07 / n. 13 ago. - dez. 2015: Artigos

Programas de inserção profissional para professores iniciantes: revisão sistemática

Marilia Marques Mira

Doutoranda em Educação pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR)
Pedagoga da Rede Municipal de Ensino de Curitiba
Bolsista da PUCPR

foto de Joana Paulin Romanowski

Joana Paulin Romanowski

Doutorado em Educação pela Universidade de São Paulo (2002), mestrado em Educação, especialização em Alfabetização, graduação em Pedagogia pela Universidade Federal do Paraná. Atualmente é professor titular da Pontifícia Universidade Católica do Paraná – PPGE e colaboradora no Centro Universitário UNINTER, professora aposentada pela UFPR e da Educação Básica – PMC. Membro do Comitê Assessor de Área – Fundação Araucária – (2006/08; 2013/15); Coordenadora do Fórum de Editores da Região Sul/ANPEd, Coordenadora do Fórum de Editores de periódicos Científicos da Área da Educação. Coordenadora do Grupo de Pesquisa Práxis Educativa – Dimensões e Processos, com projetos de pesquisa financiados pelo CNPq. Editora das revistas Diálogo Educacional – PUCPR (2008/2017); Intersaberes- UNINTER, Membro do Comitê Editorial da Revista Formação Docente – Revista Brasileira de Pesquisa Sobre Formação de Professores, Membro do Conselho Editorial da Revista Atos de Pesquisa – FURB. Coordenadora do GT 08 – Formação de professores (2010/2013). Membro do Comitê Científico da ANPEd – 2008/2010. Membro do Comitê PIBIC/PUCPR; FURB ;UFPR; parecerista ad doc de periódicos da área, e parecerista de Fundação de Fomento em Pesquisa – (Araucária/PR; Sergipe; Santa Catarina). Participa da Rede de Pesquisadores em Formação de Professores RIPEFOR como membro fundador; Rede KIPUS; Red de Inducion a la Docência.Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: formação de professores, didática, ensino superior, educação e curso de pedagogia.

Resumo

Este texto aborda um estudo sobre programas de inserção profissional para iniciantes. Considera como questões: que programas existem? Como são organizados? Qual é o impacto desses programas na melhoria escolar? O objetivo do estudo é analisar a produção científica do IV Congreprinci (2014). Para isso, a partir dos trabalhos publicados nos anais do evento, foram tomados como foco de análise seis artigos que se referem ao desenvolvimento e avaliação de programas de inserção profissional para o professorado principiante e aos efeitos desses programas na melhoria escolar. Autores como André (2012), Gatti (2012), Marcelo Garcia (1999, 2008) e Romanowski (2012) constituíram o aporte teórico. Os resultados revelaram a existência de poucos programas de inserção profissional, evidenciando a necessidade de ampliação de pesquisas sobre o tema e de proposição de ações mais efetivas envolvendo escolas, redes de ensino e universidades, que contribuam para promover o desenvolvimento profissional docente.

ABSTRACT
This paper discusses a study on professional employability programs for beginner teachers. It considers such questions: What programs are there? How are they organized? What is the impact of these programs on school improvement? The aim of this study is to analyze the scientific production at the IV Congreprinci (2014), in order to seek some answers to the questions above. Taking into consideration the works published in event Annals, six articles were taken as the focus for analysis, referring to the development and evaluation of professional employability programs for beginner teachers and the effects of these programs on school improvement. Authors such as André (2012), Gatti (2012), Marcelo Garcia (1999, 2008), Romanowski (2012), were the theoretical support. The results revealed there are few professional employability programs, highlighting the need to expand research on the subject and to propose more effective actions involving schools, teaching systems and universities that contribute to promote the professional development of teachers.


Palavras-chave

Professor iniciante

Introdução

O início da docência é uma das fases do processo de desenvolvimento profissional dos professores. A literatura específica evidencia que essa fase apresenta características próprias, constituindo um momento fundamental na constituição da docência. Marcelo Garcia (1999) refere-se à inserção profissional como um período de tensões e de aprendizagens intensivas, porém destaca que é uma das etapas mais desassistidas do processo de tornar-se professor. Conforme as experiências vivenciadas nesse período, os professores podem permanecer no exercício da docência ou abandoná-la.

Apesar do aumento significativo da quantidade de pesquisas sobre formação de professores nos últimos anos (ANDRÉ, 2012), estudos recentes evidenciam que ainda são insuficientes as pesquisas sobre professores iniciantes, no país (GATTI, 2012; ROMANOWSKI, 2012). Em levantamento realizado no banco de teses e dissertações da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), utilizando o descritor “professor iniciante”, verificou-se a existência de um total de 95 trabalhos no período de 1987 até 2012.

Papi e Martins (2010), ao analisar as investigações que constam no banco de teses da Capes entre 2000 e 2007, indicam que o foco das investigações, nesse período, voltou-se para os processos constitutivos da prática do professor iniciante, seus saberes, socialização profissional, dificuldades e dilemas do professor iniciante, entre outros temas. André (2012), em outro estudo, analisou as políticas e programas voltados aos professores iniciantes em estados e municípios brasileiros. A pesquisa revelou a existência de poucas ações formativas ou de apoio a esses docentes. Nesse mesmo estudo, a autora faz menção ao relatório Professores são importantes: atraindo e retendo professores eficazes, destacando que a preocupação com o abandono da docência tem levado alguns países à adoção de políticas que possam atrair e desenvolver bons profissionais, criando condições para que eles permaneçam na profissão.

No presente artigo, o foco de análise é os programas de inserção profissional para professores iniciantes. Considera como questões norteadoras: existem programas de apoio e/ou acompanhamento aos docentes iniciantes no país? Como são organizados? Qual é o impacto desses programas no processo de inserção profissional?

Buscando algumas respostas a essas questões, o objetivo deste estudo é analisar a produção científica do IV Congresso Internacional sobre Professorado Principiante e Inserção Profissional à Docência (Congreprinci), realizado no início de 2014, em Curitiba. (PR). O congresso teve por objetivo “consolidar um espaço de encontro, reflexão e intercâmbio de investigadores, formadores e docentes preocupados com a formação dos professores que iniciam a tarefa de ensinar” (UTFPR, 2013). Congrega professores e pesquisadores da educação superior, professores da educação básica e estudantes de graduação e pós-graduação interessados e/ou envolvidos em pesquisas sobre o tema.

O percurso metodológico: primeiras aproximações do objeto de estudo

O percurso metodológico toma por base as indicações de Ferreira (2002) e de Romanowski e Ens (2006), entre outros, sobre estudos do tipo estado da arte. Os estudos desse tipo objetivam sistematizar a produção em determinada área de conhecimento, buscando analisá-la e categorizá-la, revelando seus múltiplos enfoques e perspectivas (ROMANOWSKI; ENS, 2006). No caso, o estudo proposto não tem a pretensão de constituir um estado da arte; apenas utiliza-se de alguns procedimentos desse tipo de estudo para o desenvolvimento do trabalho. No caso deste estudo é possível caracterizar como um estudo de revisão sistemática por buscar responder uma problemática estabelecida. (VOUSGERAU e ROMANOWSKI, 2014).

Nessa perspectiva, foi organizado, inicialmente, um levantamento dos 197 trabalhos publicados nos anais do evento, sistematizando os dados por eixo temático. A Tabela 1 revela os quantitativos totais e o percentual por eixo.

Embora o enfoque de análise não seja quantitativo, é importante ressaltar que a maioria dos trabalhos situou-se nos eixos 5 e 6, que se referem às “Práticas de ensino na formação inicial do professor principiante” (25,38%) e aos “Problemas de professores principiantes em seus processos de inserção profissional” (38,07%). No eixo 5, um número significativo de trabalhos diz respeito ao estágio curricular supervisionado. A quantidade de trabalhos relacionados aos problemas de professores iniciantes evidencia o desafio a ser enfrentado.

Em seguida, foram organizados os dados por eixo, identificando o título dos trabalhos publicados nos anais, autoria, instituição/local, palavras-chave, bem como se se tratava de simpósio, informe de experiência ou informe de pesquisa. Não foram considerados, para os fins de análise, as conferências, mesas-redondas e simpósios apresentados em cada eixo temático, assim como estudos relacionados a programas de inserção profissional de outros países. Nessa perspectiva, o foco deste estudo foi as comunicações relacionadas aos eixos 1 e 2, que tratam, respectivamente, do desenvolvimento e avaliação de programas de inserção profissional para o professorado principiante e dos efeitos dos programas de inserção profissional à docência na melhoria escolar, com foco na realidade brasileira.

Após a sistematização desses dados, com base no título e palavras-chave de cada trabalho dos eixos temáticos 1 e 2, foi identificado se diziam respeito a programas de inserção profissional de iniciantes na educação básica ou na educação superior. No eixo 1, apenas dois trabalhos estavam relacionados à educação superior. No eixo 2, todos os trabalhos diziam respeito à educação básica. Nas situações em que o título ou as palavras-chave não explicitavam o nível de educação a que se referia o trabalho/pesquisa, foi feita a leitura do artigo para essa identificação. Ainda, é necessário acrescentar que um dos trabalhos publicados nos anais trazia na sua identificação a temática do eixo 1 (Desenvolvimento e avaliação de programas de inserção profissional para professores iniciantes), porém foi incluído no eixo 2 (Efeitos dos programas de inserção profissional à docência na melhoria escolar).

Merece destaque, nesse levantamento inicial, os estudos brasileiros relacionados ao Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (Pibid). No eixo 1, dos 14 trabalhos sobre programas de inserção profissional na educação básica, três tratavam diretamente do Pibid. Já no eixo 2, dos 18 trabalhos, 14 estudos tomavam o Pibid como foco de análise e um se relacionava ao Plano Nacional de Formação de Professores da Educação Básica (Parfor).

Considerando esses dados, é importante ressaltar algumas questões. O Pibid se apresenta como um programa institucional da Capes, que tem como um de seus objetivos “antecipar o vínculo entre os futuros mestres e as salas de aula da rede pública. Com essa iniciativa, o PIBID faz uma articulação entre a educação superior (por meio das licenciaturas), a escola e os sistemas estaduais e municipais” (BRASIL, 2012a, grifo nosso).

  • O Pibid oferece bolsas para que alunos de licenciatura exerçam atividades pedagógicas em escolas públicas de educação básica, contribuindo para a integração entre teoria e prática, para a aproximação entre universidades e escolas e para a melhoria de qualidade da educação brasileira (BRASIL, 2012b, grifo nosso).
  • Correspondência

    Marilia Marques Mira


    Joana Paulin Romanowski


  • Download do artigo

    Programas de inserção profissional para professores iniciantes: revisão sistemática Download

  • Cadastre-se

    Caso queira obter informações sobre a Revista “Formação Docente”, cadatre-se e receba atualizações periódicas sobre a produção acadêmica na área da formação de professores. Cadastre-se

  • Latindex
  • sumarios.org
  • BBE
  • CAPES

    Portal de Periódicos/Qualis

  • Diadorim

    Deadorim